Robô apanha de moradores de rua e é demitido

441
Modelo do robô de segurança K-9, demitido nos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

Sofrendo com a presença de moradores de rua e usuários de drogas em seu entorno, a Sociedade para a Prevenção da Crueldade Animal (SPCA) de São Francisco, nos Estados Unidos, decidiu contratar um robô para afugentar os indesejáveis vizinhos.

O escolhido foi um robô K9, produzido pela empresa de segurança Kinightscope. Dotado de diversos sensores, o segurança robótico é capaz até de identificar pessoas que não possam adentrar em algum tipo de estabelecimento. “Não estávamos conseguindo usar as calçadas, com agulhas deixadas pelos usuários de drogas, tendas e bicicletas lá, então, do ponto de vista de caminhar, acho muito mais fácil o robô andar através de um acampamento de moradores de rua do que um segurança humano”, afirmou Jeniffer Scarlett, presidente da SPCA, em entrevista ao jornal San Francisco Business Times.

Ainda segundo Jeniffer, a presença do robô diminuiu consideravelmente a presença de acampamentos montados pelos moradores de rua no entorno do local, além de ter colaborado para a diminuição do furto de veículos no estacionamento da instituição.

Porém, o que o pobre robô não sabia era que os moradores de rua não iriam desistir tão facilmente. Apesar de pesar 180 kg os moradores de rua conseguiram tombá-lo, passaram molho barbecue em seus sensores e o cobriram com uma lona.

Apesar disso, a surra que levou dos moradores de rua apenas colaborou para que o robô fosse demitido. Poucos dias antes do ocorrido, ele perseguiu Fran Taylor, uma ativista pelo direito dos pedestres, que reclamou às autoridades sobre o robô. Como não possuía autorização da prefeitura para utilização do segurança robótico, a SPCA ficou sujeita a uma multa diária de US$ 1 mil (cerca de R$ 3.300,00) caso ele continuasse prestando seus serviços.

O robô então foi devolvido à Knightscope, e agora, com cheirinho de molho barbecue, aguarda uma nova vaga no disputado mercado de segurança norte-americano.