Pentágono gastou US$ 22 milhões investigando discos voadores

1629
Pentágono não admite, mas fontes garantes que discos voadores foram identificados (Foto: Reprodução)

O Pentágono admitiu, pela primeira vez, que financiou entre 2007 e 2012 um programa para investigar a aparição de óvnis (objetos voadores não identificados).

Segundo o Departamento de Estado dos EUA o programa, que custou US$ 22 milhões (cerca de 72 milhões de reais), está encerrado, porém, o jornal “The New York Times” afirma segundo fontes que ele continua a todo vapor na terra do Tio Sam.

Os relatos dão conta que o programa foca em objetos que não possuem sistemas de propulsão semelhantes ao utilizado por humanos, como jatos e foguetes, mas sim em “discos voadores” que atingiam altas velocidades muito rapidamente.

Batizado de “Programa de Identificação Avançada de Ameaças de Aviação”, o grupo de especialistas também analisou centenas de vídeos feitos durante vôos de aviões militares, incluindo um polêmico vídeo de 2004, quando um disco voador branco foi seguido por dois caças da marinha norte-americana na Califórnia.

“O Programa de Identificação Avançada de Ameaças de Aviação foi concluído em 2012. Determinou-se que havia outra questões mais prioritárias que mereciam financiamento e foi com a melhor das intenções que o Departamento fez essa mudança. O Departamento leva muito a sério todas as ameaças e ameças em potencial ao nosso povo “, diz o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Thomas Crosson.