Um trabalhador de um necrotério na Rússia foi demitido após a polícia descobrir que ele fez sexo com o corpo de uma ex-participante do Big Brother russo, em 2008.

Oksana Aplekaeva foi assassinada em 2008, e o crime nuca foi solucionado pela polícia, que reabriu as investigações recentemente. O corpo de Oksana foi exumado, e exames apontaram que ela foi violentada sexualmente após sua morte. Exames de DNA então apontaram que o esperma presente no corpo era de Alexander, um funcionário do necrotério onde foi realizada a autópsia no corpo da mulher.

Em entrevista, Alexander conta que foi demitido, e ficou três meses sem emprego, além de ter perdido a esposa, que o deixou após o fato vir à tona, e ainda mudou o número de celular para que ele não possa entrar em contato com ela.

A polícia afirma que não há nenhuma evidência de que Alexander tenha participado da morte de Oksana, e também que ele não pode ser punido por ter transado com o corpo da garota, pois nenhuma lei russa prevê tal crime.

O assassinato de Oksana segue sem solução, e a única informação que a polícia possui com base em testemunhas é que ela foi jogada de um carro em movimento.