Um grupo de agricultores e pesquisadores norte-americano conseguiu realizar um dos maiores sonhos dos cozinheiros do mundo: uma cebola que não faz a pessoa chorar ao ser cortada.

A cebola, chamada de Sunion – um trocadilho entre as palavras Sol e cebola em inglês, começou a ser desenvolvida nos anos 80, através de seleção artificial dos vegetais. A pesquisa e o desenvolvimento da nova espécie de cebola levaram mais de 30 anos pelo fato dos pesquisadores não procurarem fazer modificações genéticas no vegetal.

Nós choramos ao cortar cebolas devido a presença de ácido propenilsulfênico, também chamado de fator lacrimogêneo, em sua composição, que é liberado no ar assim que a cebola é cortada. Em contato com água presente nos olhos ele se transforma em ácido sulfúrico, que apesar da baixa concentração é capaz de irritar profundamente nossos olhos.

A Sunion não possui o ácido em sua composição, porém, isto também altera o sabor do vegetal. Segundo os pesquisadores, e comprovado por jornalistas chamados a “testarem” a nova cebola, isso também é uma grande vantagem. Os relatos dão conta que a cebola mantém o sabor original no prato, porém, o gosto que fica na boca após comê-la não existe mais, ou seja, adeus bafo de cebola.

A cebola que não faz chorar já está sendo produzida em grande escala nos estados norte-americanos de Washington e Nevada, e deve estar à venda para o público a partir de março. Ainda não há previsão da chegada da Sunion no Brasil.